Pessoas que ainda não se vacinaram contra o sarampo devem procurar uma unidade de saúde para se imunizar contra a doença

Foto: Luiz Costa /SMCS

Todas as pessoas que ainda não receberam a vacina contra o sarampo devem procurar uma unidade de saúde em Curitiba para se imunizar. Crianças, adolescentes e adultos de até 29 anos devem ter duas doses da vacina contra o sarampo, feitas após um ano de idade. Adultos de 30 a 49 anos devem ter pelo menos uma dose, feita após um ano de idade.

Quem tem dúvidas a respeito de sua situação vacinal pode consultar o aplicativo Saúde Já Curitiba, que traz a carteira de vacinação virtual dos usuários do SUS curitibano, com as vacinas que estão registradas no sistema. O aplicativo é gratuito e está disponível na App Store (aparelhos com sistema iOS) ou na Playstore (aparelhos com sistema Android).  O acesso também pode ser feito via internet, na página saudeja.curitiba.pr.gov.br. Se a dúvida persistir, a pessoa ainda pode buscar informação pelo whatsapp da SMS ou procurar uma unidade de saúde e tomar a vacina.

Segundo os dados da Secretaria Municipal de Saúde, até o dia 28 de outubro, Curitiba registrou 173 casos confirmados da doença. Desse total, 23 são importados (a maior parte, a provável fonte de infecção foi São Paulo), e em 150 a transmissão foi secundária (quando uma pessoa transmite o vírus para outra que não viajou) ou são casos em que não foi possível determinar a pessoa responsável pela transmissão ou o local em que ocorreu o contágio.

A faixa etária em que há maior número de registros confirmados é entre 15 e 29 anos, o que corresponde a 85% do total. A idade mediana é de 22 anos.

Campanha de Vacinação
A primeira fase da Campanha Nacional de vacinação Contra o Sarampo, focada em crianças entre 6 meses a menores de cinco anos, terminou na sexta-feira, 25 de outubro. Mas, a vacinação de rotina continua de segunda a sexta-feira, nas 110 unidades de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), a escolha do público-alvo da primeira etapa, principalmente aqueles menores de 1 ano, se deve pelo fato de nesta faixa etária haver maior incidência da doença (número de casos por população) e risco de desenvolver complicações decorrentes do sarampo.

Desde o dia 22 de agosto, o MS também recomendou uma dose extra para bebês entre 6 a 11 meses. Essa dose promove imunidade temporária, sendo necessário, após um ano, realizar as vacinas previstas no calendário de rotina da criança.

A segunda etapa da campanha acontece de 18 a 30 de novembro, de segunda a sexta-feira, nas 110 unidades de saúde de Curitiba. O dia D será no dia 30 de novembro,  data em que algumas unidades vão abrir para a intensificação da vacinação.

Nessa segunda etapa, o público-alvo será jovens adultos de 20 a 29 anos de idade. O público-alvo da segunda etapa foi escolhido por nesta faixa etária haver maior número de indivíduos que são acometidos (em números absolutos) pela doença no surto registrado no país.

De acordo com a estratégia adotada pelo Ministério da Saúde, a campanha é “seletiva”, ou seja, a vacinação é para pessoas que fazem parte do público-alvo e que não foram vacinadas anteriormente ou que não estão com a situação vacinal em dia.

A vacina é contraindicada para menores de 6 meses, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com histórico de reação alérgica grave, após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina. Recomenda-se também um intervalo de 30 dias após a vacina para as mulheres que desejam engravidar.

Até 24 de outubro deste ano, foram aplicadas em Curitiba 177.458 doses de vacina contra o sarampo – quase o dobro do realizado em todo ano de 2018 e quase três vezes a mais do que as doses realizadas em todo o ano de 2017.