Durante a primavera, é importante blindar o organismo contra as alergias e garantir qualidade de vida frente à temporada de polinização das flores

Foto Ilustrativa ShutterStock


Dra. Súrya Toledo Guérios Vasselai

Blindar o organismo com a chegada da primavera para preservar a qualidade de vida na estação é a melhor opção para quem é alérgico. Existe um consenso entre os médicos que atendem o volume crescente de pacientes com esse tipo de problema que, antes de aumentar o estoque de antialérgicos para os dias mais críticos, é necessário recorrer a maneiras mais inteligentes e saudáveis de resistir naturalmente aos fatores que desencadeiam as crises.

Essa é a pior época do ano para quem é alérgico, porque aumenta drasticamente à alta concentração de pólen e ácaros na atmosfera e, consequentemente, de pacientes nos consultórios para aliviar todo o mal-estar gerado pela coriza e congestão. A boa notícia é que esse alívio pode ser alcançado com medidas simples, em que a atenção aos detalhes faz toda a diferença. A conhecida dica de ventilar a casa, por exemplo, só é eficiente se for feita nas primeiras horas da tarde, quando os índices de pólen são mais baixos.

Outras recomendações são: lavar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia, evitar jardins ou locais com muito vento, flores e árvores durante a estação e secar as roupas, bem como colocar colchões e almofadas e travesseiros no sol. Isso ajuda a eliminar microrganismos que podem se acumular no tecido. Em alguns casos, conseguimos controle dos sintomas e redução das crises apenas com esses cuidados e orientações médicas. Porém, há quadros em que apesar de todas as medidas necessitamos associar medicamentos para tal controle.

A alimentação também serve de aliada na defesa do organismo. Há alguns minerais e vitaminas presentes em maior quantidade em certos alimentos, que podem melhorar nossa imunidade como: mel orgânico, peixes, cebola e pimentões, gemas de ovo, frutas vermelhas e cítricas, vegetais e folhas verdes escuros.

Todo esse conjunto de ações para controlar as crises de rinite alérgica impacta diretamente na qualidade de vida. Ao prevenir as crises, o paciente reduz o comprometimento da sua disposição para as atividades diárias, uma vez que reduz os sintomas de coriza, congestão nasal, espirros e melhora a qualidade do sono.

 

Dra. Súrya Toledo Guérios Vasselai é médica otorrinolaringologista na Plunes Centro Médico. Mais informações no site www.plunes.com.br.