Com mudanças de hábitos é possível ter um consumo voltado a uso consciente dos recursos naturais e do nosso dinheiro, sem tirar qualidade de vida, conforto e realização de sonhos


Por Milu Ramiro

Muita gente acredita que um dos males dos nossos dias seja o consumo. Nós não vemos dessa forma e, sim, enxergamos o consumismo como um “problema” quando é feito no “piloto automático”, sem o pensamento lógico e responsável, pois consumir é um ato de responsabilidade com você, com seu dinheiro e com o planeta que habitamos.

Vamos analisar o que chamamos de responsabilidade: a mudança de clima que vem acontecendo em nosso planeta é resultado do consumo inconsciente. Estamos usando nossos recursos naturais não renováveis pelo hábito e vício, em nome do “progresso e conforto”, sem pensar nas consequências desse consumo. Assim, pensar no impacto do consumo inconsciente para o planeta é tão importante como pensar nesse impacto para as nossas finanças.

O comportamento do consumismo inconsciente está ligado à concepção de que hoje o mais importante é o “ter” do que o “ser”. É preciso ter o tênis da moda, o celular mais moderno ou o carro mais potente para ser aceito pela sociedade. Para ter tudo isso, muitos se endividam totalmente.

Aí você pode estar querendo me perguntar: “Ok, como faço então para realizar os meus sonhos materiais de forma sustentável e ainda participar da sociedade de consumo sem ser escravo dela?” Eu respondo: para haver equilíbrio no consumo é preciso valorizar os sonhos, mas criar recursos para realizá-los com disciplina e respeito.

Mudança de comportamento gerando condições para realização dos sonhos genuínos
No consumo consciente, você ajuda a preservar recursos naturais ao mesmo tempo em que cria condições para realização dos seus verdadeiros sonhos. Uma prática que pode ajudar na mudança de comportamento pode seguir estes quatro passos:

1 . Consciência ecológica
Na fase de aquisição de um produto, dê preferência por produtos, serviços e empresas ecologicamente corretos em relação aos cuidados com o meio ambiente.

2. Economia de recursos
A fase do uso do bem adquirido, destaque para a racionalização ou a redução do desperdício de recursos, como água e energia elétrica. Também podemos colocar aqui a busca por meios alternativos de transporte, como caminhada, bicicleta e transporte coletivo em substituição ao carro.

3. Reciclagem
A fase de descarte do bem, com práticas que permitam a reutilização e reaproveitamento de materiais, como a separação dos reciclados, por exemplo. Esta etapa tem relação com os cuidados com o meio ambiente no fim do ciclo de vida dos produtos.

4. Planejamento do consumo
É planejar compra de produtos e a preocupação em reutilizar os produtos sempre que for possível. Este planejamento de quando, como e por que consumir mostra mudança de comportamento para uma vida de estilo mais simples, menos consumista, gerando menos impactos negativos ao meio ambiente e, dessa forma, otimizando o uso racional dos recursos.

Em nossos encontros com os alunos que usam o nosso livro Quem Mexeu na Minha Bagunça?, destacamos sempre a teoria dos 5R:
• Reduzir o consumo.
• Reutilizar o que é comprado.
• Reciclar em vez de simplesmente jogar no lixo.
• Reformar.
• Refazer.

Com essas mudanças em nosso comportamento, além de consumo voltado a uso consciente dos recursos naturais, voltamos também para o uso consciente do nosso dinheiro, sem tirar qualidade de vida, conforto e viabilizando a realização de sonhos.

Marilucia (Milu) Ramiro é jornalista, palestrante e escritora especialista em orientação e desenvolvimento profissional de jovens. É autora do livro “Quem Mexeu na Minha Bagunça?”, em parceria com a psicóloga Celi Piernikarz, e sócia de um projeto com o mesmo nome, voltado ao desenvolvimento do hábito da organização de alunos, pais e educadores.