Seguir rotinas diárias ajuda as crianças a serem mais controladas e sentirem-se seguras e protegidas

Por Milu Ramiro

Em tempos tão frenéticos, quando todos têm muito o que fazer e agenda lotadas, a rotina pode parecer difícil de ser seguida, mas, ela é, com certeza, a forma de melhor gerenciar todas essas atividades e ainda se conseguir uma vida saudável para toda a família.

Quando criamos rotinas eficazes, criamos compromisso entre as crianças e os adultos da família, criando por consequência uma união maior entre todos da casa, minimizando estresse com as surpresas decorrentes da desorganização. Uma revisão de 50 anos de pesquisa psicológica, publicada no Journal of Family Psychology, mostra que mesmos os bebês e os pré-escolares são mais sadios e mostram comportamento mais controlado quando há rotinas previsíveis na família.

A criação e manutenção de uma rotina pode ser estabelecida desde quando a criança é bem pequena, um bebê ainda. Mas, se você não criou essa rotina na sua casa desde essa época, não se desespere, comece hoje. Crie horários, rotinas e insista, insista muito, por vários dias, até que essa rotina seja incorporada na vida da família. Logo, você perceberá os ganhos de novos hábitos, ganhos geral, para toda a família. Esses benefícios serão para toda a vida de seu filho, acredite!

Rotina da casa varia conforme a idade das crianças
As rotinas estabelecidas vão variando conforme a idade e maturidade dos filhos. É importante que seja uma coisa atrativa, sem um engessamento absurdo para evitar a desmotivação e frustração quando alguma coisa atrapalhar a rotina normal (o que pode acontecer, às vezes, pois não temos como controlar tudo).

Segundo o psicólogo americano, especializado em crianças com TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, Peter Jaksa, as rotinas modificam a vida positivamente em dois níveis. Quanto ao comportamento, elas ajudam a melhorar a eficiência e o funcionamento diário. Pode não ser sempre óbvio, mas as crianças querem e precisam de rotinas. Uma agenda previsível oferece estrutura que ajuda as crianças a se sentirem protegidas e seguras.

As rotinas também tornam as atividades diárias gerenciáveis, permitindo que seu filho preste atenção em uma coisa de cada vez. Ainda, segundo o psicólogo, esse comportamento desenvolvido é importante para crianças sem qualquer tipo de transtorno, mas para aquelas que apresentam TDHA isso é essencial.

 

 

Marilucia (Milu) Ramiro é jornalista, palestrante e escritora especialista em orientação e desenvolvimento profissional de jovens. É autora do livro “Quem Mexeu na Minha Bagunça?”, em parceria com a psicóloga Celi Piernikarz, e sócia de um projeto com o mesmo nome, voltado ao desenvolvimento do hábito da organização de alunos, pais e educadores.