A exposição Integra fica em cartaz no Museu Oscar Niemeyer entre os dias 13 e 24 de agosto

Foto: Reprodução/Facebook

Depois de São Paulo e Rio de Janeiro é a vez de Curitiba receber a exposição INTEGRA: a cultura de um povo, o desenvolvimento de um país. A mostra, que aborda cinco setores da economia nacional, será aberta ao público no dia 13 de agosto, no Museu Oscar Niemeyer.

A evolução, as tecnologias utilizadas e as soluções para o futuro nas áreas de construção, mobilidade, agricultura, energia e mineração são apresentadas com muita interatividade em uma área de 300 metros. As informações podem ser conferidas em painéis explicativos, vídeos, maquetes, jogos e óculos de realidade virtual.

Dividida em cinco seções (setores da indústria), a exposição permite uma experiência rica em informação e reflexão com relação ao desenvolvimento do Brasil. Além disso, todos os núcleos contam com um quiz, no qual o visitante responde perguntas sobre o que acabou de aprender para verificar o conhecimento. “Queremos mostrar como o capital humano atua nos setores de desenvolvimento do Brasil, de maneira inovadora e empreendedora, baseando-se em seus valores, pensamentos, cultura e identidade”, conta o curador da mostra, Mário Donizeti.

Denominada Fluxos, a seção voltada para o setor de mobilidade apresenta os modais existentes no Brasil, comparando-os com os de outros países. A partir de um painel interativo, projetado no chão, com toda a malha viária brasileira, é destacada a evolução e a previsão para o futuro de diversas vias de transporte (rodovia, ferrovia, transporte aéreo ou hidrovia). Neste espaço, uma maquete exibe novas tecnologias aplicadas em estradas inteligentes.

Em Campo, que contempla a produção agrícola brasileira, o público acompanha aspectos que levaram o Brasil a ocupar a posição de terceiro maior exportador de alimentos do mundo, segundo a Organização Mundial do Comércio, em 2014. Essa seção mostra a importância econômica e ecológica das florestas plantadas, das quais o Brasil também é um importante produtor.

A seção apresenta também um aplicativo para demonstrar a agricultura de precisão, que utiliza novas tecnologias a fim de aumentar a produtividade e sustentabilidade dos cultivos agrícolas. Em outro painel interativo, o público poderá escolher um produto (tomate, batata, café) e saber o que mudou no seu cultivo ao longo dos anos.

Na seção Energia, iluminada a partir de painéis fotovoltaicos aparentes, são apresentados dados sobre consumo, eficiência energética, fontes renováveis e redes elétricas inteligentes. O Brasil possui uma das melhores matrizes energéticas do planeta e, comparado com outras nações, conseguiu atingir maior participação das fontes renováveis graças à hidroeletricidade, ao etanol, à biomassa e à energia eólica. No entanto, o país ainda possui potencial para explorar mais alternativas como a energia eólica, por ondas, de fluxo ou fotovoltaica. Integra ilustra cada uma dessas fontes de energia em uma maquete interativa, que demonstra o funcionamento dessas matrizes.

Além de apresentar a engenharia de grandes obras brasileiras, como a Usina de Itaipu, a Ponte Rio Niterói e a Rodovia Imigrantes, a seção Habitat (foco no setor de construção) traz soluções viáveis e novas tecnologias para tornar as cidades mais seguras, amigáveis e sustentáveis. Nesse espaço, o público é desafiado a participar de um jogo multiplayer sobre as relações entre infraestrutura, construção e consolidação das cidades. O objetivo é criar uma cidade, optando por tecnologias e processos inerentes às cidades inteligentes, e descobrir, em uma avaliação, quão boa ela seria.

Por meio de painéis, mapas, vídeo mapping e realidade virtual, o núcleo Mineração mostra os fluxos de minério no Brasil e no mundo (o que produzimos e o que compramos), além da evolução da produção logística do minério e o funcionamento de uma mina autônoma, que necessita de pouca interferência humana. Uma projeção mapeada apresenta o processo desde a lavra até o processamento e o transporte do minério. O espaço exibe ainda um celular explodido, ao lado de uma tabela periódica, identificando cada peça do aparelho.

Interação
Durante a exposição os visitantes podem viver a experiência de comandar máquinas utilizadas na construção e produção dos diversos setores do desenvolvimento abordados na mostra, utilizando óculos de realidade virtual.

Outra dinâmica desenvolvida aponta como a energia pode ser gerada a partir da união das pessoas. “De mãos dadas, cada uma delas toca em uma ponta de um painel resultando numa frase que resume o propósito da nossa exposição”, revela Daniel Casadó, Diretor de Projetos da P4, agência idealizadora da mostra.

No final, o público é convidado a deixar um recado no mural: Minha contribuição para o desenvolvimento, comentando que poderia ser feito para um mundo melhor.

A exposição ficará em cartaz até o dia 24 de agosto. O horário de funcionamento do museu é das 10h às 18h, de terça a domingo. Esta mostra está localizada no anexo do museu, com entrada gratuita. O endereço é Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico. Mais informações na página do Facebook, no perfil do Instagram e no site www.museuoscarniemeyer.org.br.

A exposição INTEGRA é um projeto patrocinado pela Caterpillar por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal.