A exposição é inédita em Curitiba e apresentada pela Fiocruz do Rio de Janeiro

Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

Ciência e arte se misturam no Museu Municipal de Arte (MuMA) do Portão Cultural em uma exposição inédita na cidade. O Museu da Vida, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), “desembarcou” no local nesta terça-feira, 6 de agosto, com microscópios, bactérias, vírus, pilha humana, bicicletas geradoras e diversas atrações que misturam brincadeira e ciência.

Pela primeira vez, a exposição itinerante da FioCruz do Rio de Janeiro sai da região Sudeste do país. Em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), a exposição é apresentada em comemoração aos 20 anos da Fiocruz no Paraná.

Na exposição, os visitantes se deparam com um equipamento conhecido como pilha humana, que mede a corrente elétrica do corpo humano. Pesquisadores do IBMP trouxeram jogos e atividades lúdicas associadas à prevenção de doenças causadas pelo Aedes aegypti, leishmaniose, células-tronco, parasitos e história do sequenciamento do DNA.

Para os mais curiosos, é possível observar uma célula em um microscópio, tirar dúvidas e interagir com cientistas. Um outro “brinquedo” é o girotec, que simula a falta de gravidade e era usado para treinamento de astronautas na década de 1950. Para brincar no aparelho é preciso ficar amarrado com os pés e mãos enquanto um dos monitores da Fiocruz faz os movimentos.

A visitação pode ser feita até a próxima sexta-feira, 9 de agosto, das 9h às 17h. A entrada é gratuita. O Museu Municipal de Arte (MuMA) está localizado dentro do Portão Cultural, na Avenida República Argentina, 3.432 – Portão.