Dra. Pet: Orientações para levar o seu pet em viagens de avião

///Dra. Pet: Orientações para levar o seu pet em viagens de avião

Vai levar o seu pet em uma viagem de avião? Confira as orientações sobre documentações e procedimentos necessários antes de embarcar

Foto: Deposit Photos


Por Jacqueline Felippetto

As férias chegaram e muitas famílias levam seus bichinhos de estimação em viagens. Em muitos casos, essa viagem é feita por avião e é preciso ter alguns cuidados. Na hora de reservar a viagem, verifique com a companhia aérea se há a possibilidade de levar o animalzinho junto na cabine. Algumas permitem que cães e gatos de até 5 kg possam ir junto o tutor e outras aceitam pets de até 10 kg na cabine. Contudo, fique atento: esses pesos correspondem a soma do peso do pet mais o peso da caixa de transporte.

Algumas raças que possuem o focinho achatado, como o pug e o pequinês, podem ter dificuldade de respirar durante um voo e chegarem a falecer. Nesses caso, não é aconselhada a viagem de avião.

Segue abaixo os documentos e procedimentos necessários para viagem área nacional de cães e gatos no avião:

  • Atestado de saúde emitido por médico veterinário registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária da Unidade Federativa de origem do pet, dizendo que o animalzinho encontra-se em perfeito estado de saúde para viajar. Esse atestado tem validade de 10 dias após a emissão;
  • Carteirinha de vacinação em dia emitida por médico veterinário, com as etiquetas e o número da partida das vacinas;
  • A vacina contra a raiva deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos um ano do embarque do pet;
  • É importante estar com vermífugo e produto contra pulgas e carrapatos em dia;
  • A microchipagem é importante também, pois ajuda em caso de fuga do pet;
  • Além disso tudo, sempre peça orientação do médico veterinário sobre os cuidados que devem ser tomados antes do embarque.

Outro item fundamental é a caixa de transporte do pet, que deve ser de plástico resistente, lavável e confortável (o pet deve conseguir ficar de pé e ainda consiga dar uma volta em torno de si mesmo -, além de bem ventilada. Quanto ao tamanho da caixa, o ideal é obter todas as informações necessárias diretamente com a companhia aérea.  E não esqueça de colocar o seu nome, endereço e telefone na caixa também.

Um aspecto importante também é o pet estar acostumado a entrar e ficar na caixa para evitar transtornos.Eu atendo a Marie, que viaja tranquilamente com sua tutora, a Sandra, sempre pela companhia Azul. Ela entra na caixinha e fica quietinha a viagem toda, pois desde pequena é acostumada com a caixa de transporte.

Cada companhia aérea cobra uma taxa adicional para transportar o pet e os preços variam. Por isso, a importância de fazer tudo com bastante antecedência. Ressaltando que se o passageiro for deficiente visual e tiver um cão-guia, não será cobrada essa taxa pelo transporte.

Existem ainda empresas especializadas que preparam toda a documentação necessária para o transporte do seu pet, inclusive embarcando o bichinho com toda a segurança. Essa também é uma opção interessante para facilitar a sua viagem.

Em caso de dúvidas, sempre procure a orientação de um médico veterinário.

Boa viagem!


Jacqueline Felippetto é médica veterinária e atua na área de animais de companhia. Há quase 20 anos, participa de programas de televisão para dar dicas de como cuidar de bichos de estimação, que também são compartilhadas no canal do Youtube, Bichos na TV.

2019-07-10T17:48:41-03:00 10 julho - 2019 |0 Comentários

Deixe uma resposta